Lições de Nebrija

Todo idioma é dinâmico e se transforma com muita rapidez, um desafio a mais para o professor que se dedica ao ensino de línguas. Para acompanhar essa constante transformação, a professora Silvia Mera foi a Madrid participar do curso de Didática do Espanhol como Língua Estrangeira na Universidade de Nebrija, a mesma em que a professora Rose concluiu seu curso de Mestrado.

A professora fez questão de ressaltar diversos pontos positivos da viagem e do curso. Entre eles a multiculturalidade e o contato com a realidade espanhola, tão abordada nos livros didáticos. A turma de professores que cursava o aprimoramento em Nebrija era composta de 8 estrangeiros e 24 espanhóis que trabalham ao redor do mundo ensinando o idioma . “A oportunidade de conversar com professores de Ensino Fundamental e Médio em outras realidades é muito rica”, afirmou a professora.

Sobre a troca de experiências, Silvia ressaltou a surpresa positiva de seus colegas em relação à estrutura do Departamento de Espanhol e às oportunidades dadas aos professores no Colégio Bandeirantes. “Além de expandir nossos horizontes, essas viagens nos dão a satisfação de perceber que estamos no caminho certo, e mais confiança no nosso trabalho”, concluiu.

Literatura e língua em constante mudança

Congressos, debates, viagens. Todas essas experiências enriquecem o repertório de um educador e agregam muito nas atividades de sala de aula. E as professoras de português não perdem as oportunidades de trazer essas novidades para o Bandeirantes.

Enquanto a Fabiana de Lazzari participou de congressos, debatendo seu recém-concluído mestrado, a professora Marise foi a Paraty, enviada pelo Bandeirantes para a FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty).

Na Escola de Comunicações e Arte (ECA-USP), Fabiana participou do Congresso de Comunicação Ibero-Americana , discutindo a criação da imagem do jovem na publicidade brasileira, assunto que a professora estudou com profundidade em sua dissertação de mestrado. “Acho que essas atividades são essenciais para nós não perdemos de vista o que está sendo produzido nas universidades”. A professora conta que esse tipo de conhecimento é muito importante, especialmente para os alunos de terceiro ano que já estão muito próximos da realidade acadêmica.

Em Paraty, a professora Marise esteve na nona edição da FLIP, evento que reúne grandes autores nacionais e internacionais e que, neste ano, teve como autor homenageado Oswald de Andrade. Depois de ser convidada a participar da oficina de crítica literária, a professora organizou-se para aproveitar ao máximo os debates que contaram com a participação de grandes pensadores como o filósofo Luiz Felipe Pondé e o neurocientista Miguel Nicolelis, o crítico literário Antônio Candido e o músico, poeta e ensaísta José Miguel Wisnik.

Além da programação oficial, Marise ficou extremamente entusiasmada com a programação que se espalhou pela cidade para além do cronograma oficial da feira. A fala do poeta Ferreira Gullar no Espaço Folha marcou especialmente a professora. “Ouvir o autor falando de sua experiência de vida, percebê-lo como um ser humano ‘de carne e osso’ é uma coisa incomparável, que nenhum livro dá”, conta.

Reconhecimento e novas ideias

A aplicação de novas tecnologias dentro e fora de sala de aula tem sido uma preocupação de educadores ao redor do mundo. Para não perder nenhuma das novidades, é primordial que os profissionais estejam aonde as novas ideias são debatidas.

Essa busca pela constante atualização levou o Bandeirantes e a enviar a professora e coordenadora do Departamento de Tecnologia Educacional, Cristiana Assumpção, para participar do EdMedia 2011 que aconteceu na Universidade de Lisboa, em Portugal.

O evento reuniu pesquisadores de diversas partes do mundo e contou com a apresentação de dois trabalhos da professora, sobre as tendências de tecnologia nas escolas discutidas no relatório Horizon Report e também sobre o projeto de Ética e Cidadania Digital, desenvolvido no Colégio Bandeirantes.

As duas apresentações de Cristiana foram um sucesso de público (cerca de quatro vezes maior que a média das apresentações do congresso), o que deixa claro o interesse geral pelo tema e a qualidade do trabalho desenvolvido pela professora. “Foi a primeira vez que eu fiz uma apresentação sobre o curso de Ética e Cidadania, e fiquei muito feliz com essa receptividade. A gente percebe que as pessoas ainda estão buscando respostas para a questão de segurança na internet e interessadas no que nós fazemos aqui”, comentou.

Cristiana elogiou muito o nível dos trabalhos que viu em Lisboa. “Quanto mais eu participo de congressos, mais criteriosa eu fico. Mas o EdMedia realmente surpreendeu”, contou, inspirada pelas perspectivas da viagem e já pensando nas novidades que serão trazidas para o Band.

“10 sobresaliente”

Depois de 2 anos, 3 viagens à Espanha e muita dedicação, a professora Rose da Silva, coordenadora do Departamento de Língua Espanhola, concluiu seu mestrado com louvor. Nas férias de julho, ela defendeu sua dissertação de mestrado na Universidad de Nebrija, na qual participou do curso Linguística Aplicada ao ensino de Espanhol como Língua Estrangeira desde 2009.

Em seu projeto de conclusão de curso, Rose realizou uma reflexão teórica sobre o trabalho desenvolvido com os alunos do 9º ano no laboratório de espanhol do Band. Tanto a originalidade do tema quanto o rigor acadêmico da pesquisa foram muito elogiados pela banca avaliadora, que atribuiu ao trabalho a nota máxima, “10 sobresaliente”, como explicou a professora. A dissertação foi selecionada, inclusive, para ser disponibilizada na biblioteca virtual da universidade. Com o ótimo desempenho, Rose recebeu seu título de Mestre válido para toda a Europa, o que reflete a importância e a exigência do curso, que foi considerado o melhor do mundo pela imprensa espanhola.

Muito satisfeita com a experiência de fazer um mestrado fora do país e com o resultado de seu trabalho, a professora salientou a importância do apoio do Colégio Bandeirantes. “Eu tive muito conforto pra trabalhar e estudar. Todos entendem a importância desse tipo de atividade e dão o suporte necessário”.

De volta à rotina das aulas, Rose já coloca está aplicando os conhecimentos de seu mestrado e planejando melhorias para o curso de Espanhol do Band.

Entre Harvard e MIT

O Colégio Bandeirantes enviou os educadores Alexandre Le Voci Sayad (Idade Mídia) e Emerson Bento Pereira (Coordenador do Departamento Cultural) para conhecerem o que de mais atual existe na criação de soluções tecnológicas para questões de cidadania, no MIT (Massachusetts Institute of Technology), em Cambridge.(EUA).

O objetivo da viagem foi construir a segunda etapa do programa Open City, que reúne profissionais, educadores e estudantes da BandTec e do Colégio Bandeirantes no desenvolvimento de uma solução online para uma cidade mais aberta e participativa.

Entre MIT e Universidade de Harvard, os dois profissionais se uniram ao jornalista Gilberto Dimenstein no encontro anual do Center for Civic Media. “Todo o ambiente de Boston e Cambridge transpira conhecimento. As pessoas lêem em todos os cantos da cidade. Nos campi parece ser extremamente prazeroso estudar. No MIT o prédio em que estudamos foi construído de forma a facilitar a interdisciplinaridade e o relacionamento entre as pessoas”, explica Emerson.

Entre a programação do evento, que também premiou 16 iniciativas de uso de tecnologia na área dos Direitos Humanos, reuniões com profissionais e uma ampla agenda de contatos foi aberta para o segundo semestre do Open City.

“A vivência aguçou ainda mais nosso propósito de que a educação é algo inevitavelmente multidisciplinar e isso tem que estar presente nas mínimas ações do educador; e também que a internet vive uma etapa única em sua história, em que pode servir como elemento fundamental para uma vida melhor nas cidades do mundo todo”, conclui Alexandre.