Professores marcam presença em Congressos de Língua Portuguesa

Não deixando a atualização acadêmica de lado, os professores de Língua Portuguesa Alexandre Fukuya, Cátia Pereira, Fabiana de Lazzari e Karla Somogyi participaram de um evento simultâneo na PUC-SP, que incluiu o 15.o Congresso Brasileiro de Língua Portuguesa e o 6.o Congresso Internacional de Lusofonia do Instituto de Pesquisa da PUC-SP – Língua Portuguesa: História, Cultura e Sociedade.

10364189_676976779041352_401650014851990059_n

Estes procuram reunir profissionais nacionais e internacionais falantes da Língua Portuguesa, oriundos de Moçambique, Cabo Verde e Angola entre outros. A inauguração foi feita pelo professor moçambicano Eliseu Mabasso (Universidade Eduardo Mondlane) que resaltou a importância que o Português vem obtendo mundialmente e também pelo professor José Luiz Fiorin  (USP).

congresso de portugues

Nos dois dias de congressos, cujo objetivo é aliar a pesquisa e o ensino, os docentes puderam assistir a palestras, participar de mesas redondas, salas temáticas e minicursos e apresentar suas pesquisas de tese. As professoras Karla e Cátia apresentam seus estudos de Mestrado que concluirão no segundo semestre. Além disso, os professores Alexandre e Fabiana também estão cursando na PUC, respectivamente, Lato Sensu e Doutorado.

15_congresso_logo-home-page-435px

“Não há professor que saia destes congressos sem repensar sua prática, pois é bastante intensa a troca de experiência, o contato com as pesquisas e o conhecimento em todas as atividades envolvidas”, comentou a professora Cátia. “Não se imaginam as surpresas, contatos, parcerias de um evento como esse pode proporcionar”, completou.

Aproveitando ao máximo a programação, as professoras Fabiana e Cátia participaram de uma sala temática que tinha como tema o uso da tecnologia em sala de aula. Ademais, Cátia, Fabiana, Karla e  Alexandre participaram também dos minicursos: “Discurso e Ensino de Língua Portuguesa”, “Escrevendo para Educação a Distância: o que devemos saber?”,  “Avaliação qualitativa da produção textual” e “Oralidade em Sala de Aula”.

“Toda a turma [dos minicursos] era formada por professores, por isso cada professor falava o dava certo e o que não dava em aula. Com isso, vi que já fazemos muitas atividades voltadas à oralidade [nas aulas do Colégio] com bastante debates e seminários”, explicou Fabiana. “Além disso, é um ótimo espaço para se ter ideias e ampliar nossa visão, uma vez que as professoras que ministraram o minicurso eram muito experientes”, completou.

iBand no Moogfest 2014

Experimentando novos ares e novos sons, João Régis Lima, coordenador de Arte e mentor do curso extracurricular iBand, e Wilson Ferreira, também mentor do curso, viajaram pelo Bandeirantes para Asheville, na Carolina do Norte (EUA), para o Moogfest. O importante festival reúne as novidades relacionadas à música, tecnologia e artes.

regis_wilson

professores Régis e Wilson

Um dos principais aspectos do evento era o de não apenas manter palestras ou mesas redondas, mas apresentar também workshops e performances de diversos artistas.

Entre as palestrantes, estava o MIT Media Lab, representado por Eric Rosembaum e Jay Silver. Além disso, alguns membros do Google debateram sobre o futuro do áudio e da música. Um destes era Alexandre Chen, formado no Band, que hoje é Diretor de Criação no Google Creative Lab de Nova York.

“O movimento maker, muito representado lá, é a democratização dos meios de produção”, comentou o professor Régis. “A viagem ajudou na busca de ideias, especificamente voltadas à música e à arte, para a elaboração de oficinas com o espírito maker, dentro espaço HUB do Band”, explicou.

regis_wilson2

Para o prof. Wilson, o encontro foi muito além do que uma reunião de música, mas um encontro de diversos “entusiastas diversos”, além de envolver tecnologia e educação.  “A música serve como um meio de integração, um link;  mexe com a sensibilidade e abre um outro canal. Se a música pode marcar momentos da vida de alguém, fazer relembrar de momentos, então, certamente, também pode marcar o aprendizado dos alunos”, acredita Wilson Ferreira.

Band vai a Califórnia para agenda educacional

O Bandeirantes participou da conferência do Internacional Finance Corporation (IFC), organização do Banco Mundial, a convite dos anfitriões. O evento aconteceu em San Francisco, nos EUA, e foi totalmente voltado à educação. O grupo, formado por Mauro de Salles Aguiar, Diretor Presidente, Hubert Alquéres, Vice-Presidente, Eduardo Tambor, Diretor de Operações e Helena de Salles Aguiar, Gerente de Planejamento Estratégico, também cumpriu outros compromissos locais ligados à educação.

ifc_diretoria_band

Eduardo, Hubert, Helena e Mauro

O IFC é um importante órgão de financiamento da educação privada mundial e acaba também por representar uma chancela de qualidade quando o assunto é financiamento privado com alavancagem social.

Os dois dias de palestras apresentaram as grandes tendências da educação tanto no ensino Básico quanto no Superior. “Uma macro-tendência que foi muito criticada foi a atual falta de atenção das universidades aos cursos de graduação; ultimamente a pós-graduação e as pesquisas parecem ser o foco principal do ensino superior, uma visão míope pois não privilegia a formação básica do estudante”, comentou Mauro de Salles Aguiar, diretor-presidente do Band.

“Uma das palestras que mais gostei foi a do educador americano Tony Wagner. Ele ressaltou as habilidades do aluno do século XXI (criatividade, pensamento crítico, comunicação e colaboração), que o mundo demanda, mas poucas escolas desenvolvem”, disse Helena de Salles Aguiar, Gerente de Planejamento Estratégico.

A ida a Califórnia também contou com duas outras visitas: ao parceiro do Colégio, o Foothill College ,e também ao CEO da Minerva Project, Ben Nelson, que posteriormente esteve no Band. “São duas bandeiras que justamente valorizam a formação inicial do estudante; no caso da Minerva, questiona até as questões estruturais dos campi e seus altos custos”, finalizou Mauro.

Biotecnologia é apresentado em Conferência na Irlanda

Ana Cristina Camargo de São Pedro, professora coordenadora do Projeto de Biotecnologia, marcou presença na Conferência Internacional da Irlanda sobre Educação (IICE). O objetivo desse evento é promover o debate sobre teorias e práticas na educação e também a apresentação de projetos educacionais, como o “Biotecnologia” do Band.

IICE_2014

Professora Ana Cristina e Charles Shoniregun (Organizador da IICE 2014).

O Projeto Biotecnologia foi apresentado por Ana Cristina; para a pequisa, a professora teve o auxílio dos docentes Marina Schawarz, Mariana Lorenzin, Cristiana Mattos, Regina Mara e do consultor de Bioética, Diógenes Batista.

“Sinto que o trabalho está bem realizado porque pude apresentar o Biotec para pessoas de vários países e obtive muito retorno com perguntas e curiosidades. Vejo que o projeto está no caminho certo na formação, não de pesquisadores, mas de pessoas”, comenta a professora.

Segundo a professora, a Conferência, por ser interdisciplinar, tornou-se importante para a criação de uma rede de profissionais com interesses parecidos; isso auxilia a formação de parcerias para a criação de novos projetos.

“O evento fez com que a gente discutisse e refletisse sobre vários pontos necessários na formação de uma pessoa, além da parte conteudista e tecnológica. Englobou também o psicológico e comportamental, tanto do aluno quanto do professor”, explicou Ana Cristina.

“Eu me senti inserida num ambiente multicultural, de pesquisa séria, comprometida com a formação de pessoas responsáveis e preparadas”,  finalizou.

Mais informações sobre o IICE podem ser conferidas clicando aqui.