Prof. Ricardo D’addio marca presença em Congresso de Bioética

O professor de Biologia Ricardo Daddio marcou presença no III Congresso Brasileiro de Bioética e Bem Estar Animal, do Conselho Federal de Medicina Veterinária, em Curitiba, no Paraná. O principal objetivo do congresso foi discutir a Bioética, área do conhecimento destinado a investigação das condições necessárias para uma administração saudável da vida animal.

ricardo_daddio_dest

Durante os três dias de evento, o professor participou de diversas mesas redondas e palestras de diversos cientistas, pesquisadores brasileiros e também estrangeiros. “O interessante dessa conferência é que ela é multidisciplinar, ou seja, tinham pesquisadores de diversas áreas da Biologia e até advogados palestrando”, contou D’addio.

Os assuntos abordados nas palestras eram sobre: estudos comparados entre a neurociência animal e humana; bem estar e a sustentabilidade; preservação ambiental relacionada aos programas sociais como o TAMAR; a importância de levar estas discussões para a sala de aula.

Uma das palestras que chamou a atenção do professor foi sobre o bem estar dos peixes ornamentais, do pesquisador brasileiro Leonardo Barcellos. “É um tema muito interessante, já que muitas vezes não se pensa sobre os peixes, mas apenas no bem estar de animais mamíferos”, comentou.

“O curioso é que as palestras eram muito ligadas entre si. Os palestrantes conseguiam mostrar uma associação da produção de alimentos ao bem estar dos animais que discutimos com os alunos em sala de aula”, explicou Ricardo D’addio. “A Bioética é um tema moderno e os alunos ficam curiosos e perguntam. Por isso é muito importante o professor manter-se atualizado sobre essa questão”, finalizou.

Alunos apresentam a Feira de Ciências em Londres

Um grupo de alunos composto por Arthur Chan, Arthur Lasak, Daniel Sanches, Gabriel Saruhashi, Gabriel Vilaça, Guilherme Sharovsky, Letícia Allevato, Marco Aurélio de Oliveira, Pedro Leite e Pedro Casella, acompanhados do professor de Física Carlos Mariz, marcou presença no Fórum Internacional Científico Juvenil de Londres – LIYSF. No evento, os alunos puderam conferir palestras, conferências, além de também assistirem às apresentações de trabalhos e visitarem laboratórios, indústrias e museus.mariz_0001 O encontro reúne 64 países e procura discutir o papel do jovem nas Ciências de modo geral. No primeiro dia, os alunos, que fizeram parte da Feira de Ciências 2013, apresentaram em estandes os trabalhos. Dentre estes, alguns foram escolhidos para serem apresentados, em inglês, para cerca de 400 pessoas. Slide1 O grupo da Feira Ciências 2013 composto por Marco Aurélio, Arthur Osaka foi um dos escolhidos para uma apresentação oral sobre Fatores que influenciam na propriedade de fluidos dilatantes. Os alunos foram os únicos brasileiros a se apresentarem oralmente. Mariz Os projetos apresentados foram julgados por diversos cientistas e professores, entre eles Richard Myhill, Diretor da Conferência, e Lenora Reville, Diretora de Patentes da União Europeia. O aluno Pedro Leite destacou a importância do aprimoramento da oralidade na apresentação e também no reconhecimento de profissionais de renome da área. A imersão cultural foi uma das qualidades do fórum. “A troca de ideias entre os representantes dos países foi extramente rica, já que as perguntas e respostas eram de acordo com a cultura de cada participante”, comentou o estudante Gabriel Vilaça. Além do  LIYSF, eles também visitaram a Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear, conhecida como CERN, que desenvolveu o maior acelerador de partículas do mundo, na Suíça. “Conhecer o CERN foi uma experiência fantástica, pois através dos experimentos que estão sendo desenvolvidos pela organização, os cientistas buscam estabelecer e testar modelos que respondem às perguntas mais fundamentais do universo”, contou o aluno Arthur Osaka. Arthur ainda ressalta a importância de iniciativas como essa, apoiadas pelo Band. “Experiências assim ampliam a nossa visão de mundo como alunos e como pessoas, além de nos qualificar para interagir no futuro ambiente profissional”, completou.

Profa. Karla conclui mestrado na PUC-SP

A professora de Língua Portuguesa Karla Somogyi concluiu seu Mestrado em que, a partir da Análise do Discurso, estudou o humor e a malícia em manchetes e matérias sensacionalistas. O Mestrado foi uma continuação de sua pesquisa inicial de Especialização, ambos concluídos na PUCSP.

Karla_mestrado

Karla analisou diversas manchetes e reportagens do jornal Meia Hora, publicado no Rio de Janeiro. Dessa forma, concebeu que o jornal não se preocupa mais em informar ou formar opiniões, mas, sim, em apenas entreter o público. O interesse sobre o tema surgiu na época das Olimpíadas de 2012, quando o Meia Hora publicou inúmeras manchetes maliciosas e, muitas vezes, preconceituosas.

Como toda dissertação na PUC, é perguntado como essa seria utilizada em sala de aula. “Eu poderia trabalhar com a leitura dos alunos a partir de outros tipos de texto e, dessa maneira, trazer questões mais atuais e discutir como isso influencia nossa fala e linguagem”, explicou .

A grande importância da capacitação continuada, segundo Karla, é o professor poder refletir sobre sua prática e ampliar as possibilidades de ensinar e discutir com os alunos.