Oficina do Professor inicia atividades em 2012

Inicialmente pensado como um grupo que formaria professores para a demanda de CPG (Convivência em Processo de Grupo), a Oficina do Professor ganhou importância como um programa mais amplo no Colégio e hoje abrange coordenadores e professores das mais diversas áreas.

Em 2012, o grupo de vinte e cinco profissionais, coordenados pela educadora Estela Zanini (coordenadora de CPG) e pela psicodramatista Stela Fava reiniciou suas atividades formativas aos sábados.

“Os conflitos, as questões da adolescência e as relações entre professor e aluno extrapolam a sala de aula; assim, a Oficina passou a ter uma relevância para as próprias relações dentro do Band e a interessar não só aquela turma que almejava trabalhar com CPG, mas aqueles que desejam compreender as questões dos adolescentes de maneira adequada”, explica Estela Zanini.

O psicodrama, método empregado na condução das atividades, consiste em utilizar o drama (teatro) para expor e trabalhar aspectos da psique humana e das relações entre os indivíduos.

Assim, a cada encontro um tema central é definido e a turma é dividida em pequenos grupos. Há, no início, um aquecimento inespecífico e outro específico. Cada grupo escolhe então uma situação vivenciada no dia-a-dia e elabora uma esquete dramática; todas as cenas são apresentadas e, sob a coordenação da psicodramatista Stela Fava, papéis são invertidos e as situações são problematizadas para todos.

“É uma formação em que os laços afetivos, a mágoa, a verdade e outras questões afloram. Não é fácil, é muito intenso e transformador. De fato, muito importante para as relações de todos dentro do colégio”, acredita Estela Zanini.

Em 2009, a Oficina foi responsável em elaborar o tema da semana de planejamento do ano seguinte (“Refletir para Transformar”).  Em 2010, o tema escolhido para o próximo ano foi “Valores propostos e valores praticados”. A cada ano, o assunto central dessa semana  – em que professores planejam as atividades antes do início do ano  -, acaba se refletindo no trabalho da Oficina do Professor.

“Em 2012, o tema da inovação é o que pretendemos levar e fazê-lo capilarizar em todos os departamentos e atividades como um valor do Bandeirantes, de todos os funcionários”, conta Estela. “Por isso é importante que esse seja uma grupo sempre aberto àqueles que desejam participar”, finaliza.

Tempo e espaço para o novo

Ouvir especialistas, trabalhar em grupo, conhecer os projetos que acontecem dentro do Band, refletir sobre o presente e o futuro, sem esquecer o passado. As atividades da Semana de Planejamento possibilitaram momentos muito produtivos para a equipe do Band.

 No dia 30 de janeiro, o professor da Fundação Dom Cabral Luis Eduardo Carvalho foi convidado a falar sobre as características mais importantes para um ambiente e um grupo serem capazes de gerar inovação. Os pontos ressaltados pelo professor foram um tempo dedicado a criar novos projetos, a confiança para fazer sugestões ainda que elas pareçam absurdas em um primeiro momento e a valorização do antigo para que a inovação não se torne um modismo.

 O especialista de tecnologia na educação Cesar Nunes trouxe falou sobre a tecnologia como uma forma de ampliar as formas de se alcançar desejos antigos dentro de sala de aula, e como ferramentas tecnológicas podem ser eficazes para incentivar a participação dos alunos e aperfeiçoar os processos de avaliação.

 No dia 31, as atenções voltaram-se para o que já acontece dentro do Band. A professora Cristiana Assumpção começou o dia traçando um perfil da geração Y, jovens globalizados e conectados que trazem novos anseios e demandas às carteiras escolares.

 A equipe do projeto Currículo Global mostrou o trabalho do Intercâmbio Virtual de Culturas, que já foi premiado internacionalmente pelo uso de blogs para promover troca de ideias entre alunos de diferentes países e realidades.

 As professoras Rosângela Dantas e Luiza Martins apresentaram o projeto “Estudio 9”, um site que concentra trabalhos relacionados à cultura hispânica que envolvem produção de texto, compreensão auditiva e a publicação dos trabalhos em plataformas digitais, combinando habilidades linguísticas e cotidianas que são aplicadas dentro e fora de sala.

 Por fim, o coordenador do projeto SPACE, Guilherme de Benedictis apresentou as atividades que envolvem o uso de softwares de informática, e mais recentemente o compartilhamento de conhecimento via redes sociais.

Apesar do foco na reflexão e na atividade intelectual, o bem estar físico não foi deixado de lado. A equipe de educação física preparou atividades nos dois dias, como práticas de ginástica laboral do Lian Gong e de trabalho de consciência corporal que promoveram momentos de descontração e relaxamento. A equipe do Band começa o ano de corpo são e mente pronta para a inovação.

Confira a galeria de imagens clicando aqui.

Sem medo de inovar

O reinício do ano letivo é sempre um momento especial no Band, e antes que as aulas comecem os professores reúnem-se para trocar ideias, refletir e buscar novas inspirações para que o ano de trabalho a ser iniciado seja ainda melhor.

No primeiro dia de atividades da semana de planejamento, os professores foram recebidos com um agradável café da manhã embalado pelo jazz do Ricardo Baldacci Trio. Depois de conversarem sobre a férias, os presentes reuniram-se em uma das salas do cinema Reserva Cultural onde o diretor-presidente Mauro de Salles Aguiar saudou a todos, especialmente os professores que passaram a integrar o Band em 2012. Com suas palavras, Mauro Aguiar colocou o tema da Semana de Planejamento 2012: inovação, conceito que sempre fez parte da história do colégio e se torna cada vez mais importante frente as demandas de uma sociedade que se transforma cada vez mais rápido.

Com o grupo Teatro de Improvise, os professores foram convidados a expressar seus sentimentos, rememorando cenas marcantes em suas vidas. Com a encenação das histórias contadas pelo professor Carlos Alberto de Simone, pelo professor de Artes Pedro Cardoso e pela professora Cátia Luciana Pereira, o grupo pode discutir a importância de se aprender com os próprios erros, aprender a lidar com o acaso e nunca deixar de lado o respeito pelas pessoas, ideias fundamentais no processo de aprendizado.

Até o dia 31 de janeiro, os professores estarão participando de diversas atividades em grupo, para que no dia 1º de fevereiro as aulas já comecem cheias de novidades.

Coordenação e Liderança

Organização e inovação sempre foram preocupações do Bandeirantes. Para estarem ainda mais preparados para os desafios de educar em meio a tantas mudanças, é fundamental que os professores estejam em constante atualização, desenvolvendo competências. Seguindo esse pensamento, o Bandeirantes contou com a parceria da Fundação Dom Cabral para criar um curso desenvolvido especialmente para os coordenadores do colégio.

Utilizando de toda a experiência da Fundação Dom Cabral, especializada na formação de gestores, o curso no Band foi pensado segundo as necessidades dos profissionais do colégio. “A demanda veio dos próprios coordenadores. Nosso papel foi traduzir isso da melhor forma para criarmos uma solução junto à fundação”, contou o diretor Eduardo Tambor.

O curso dividiu-se em quatro módulos: Excelência em Educação, Inovação, Gestão de Projetos e Gestão da Mudança. Palestras e dinâmicas foram ministradas dentro e fora do Band, de forma que os coordenadores puderam refletir sobre aspectos da inovação, discutindo novos métodos de criação de valor pela inovação , e também sobre os impactos das mudanças dentro de uma organização. Não faltarão novas ideias e novas ações para o ano de 2012.

Pesquisa Internacional

A troca de experiências e pontos de vista é um dos principais benefícios dos encontros de educação que acontecem pelo mundo. Para reforçar e ampliar esse objetivo, são criados fóruns e publicações online, em que acadêmicos e professores que participam dos eventos de educação têm a oportunidade de compartilhar conteúdos relativos aos mais variados assuntos aplicados à educação.

Equipe do Projeto Educação para a Sustentabilidade

 

 

 

 

 

 

 

 

O LICEJ (Literacy Information and Computer Education Journal) é uma publicação trimestral revisada por especialistas e dedicada a trabalhos transdiciplinares na área da educação. Em sua mais recente edição está publicado o estudo The Concept f Sustentability among Students of Elementary School in Brazil, de autoria dos professores Edson Grandisoli , Cristiana Assumpção, Denise Curi e Rosiani Telles, professores responsáveis pelo projeto Educação para a Sustentabilidade.

O estudo foi apresentado na CICE (Canadian International Conference on Education), em março de 2011 e desde então chamou a atenção dos pesquisadores presentes. “Há pouca pesquisa com alunos de Ensino Fundamental quando se trata de sustentabilidade, o foco está no Ensino Superior”, contou o professor Edson. “Outro aspecto interessante dessa pesquisa foi a participação dos alunos do Ensino Médio na confecção e aplicação do questionário aos aplicados alunos do Ensino Fundamental”, completou a professora Rosiani.

Conheça o LICEJ clicando aqui.

Xico Graziano fala aos professores

Sustentabilidade. O termo é palavra de ordem no século XXI, e é levado em consideração em todo o tipo de discussão sobre desenvolvimento. Diversos posicionamentos quanto a questões sociais, ambientais, econômicas e políticas precisam são confrontados quando se trata desse conceito. Trazendo mais uma opinião ao debate sobre as práticas e implicações de um desenvolvimento sustentável, o Colégio Bandeirantes convidou Xico Graziano, agrônomo, mestre em Economia Agrária e doutor em Administração, que acumula em sua vida política a experiência de Secretário do Meio Ambiente do Estado de São Paulo e Deputado Federal.

Logo que começou a palestra, Xico Graziano mostrou-se grato pela oportunidade de estar num ambiente de ensino. “Eu gosto mesmo é de ser professor. A vida pública me afastou da academia, mas sempre gostei de dar aulas”, contou o agrônomo que lecionou na UNESP durante 16 anos. Sua palestra começou com um panorama histórico do desenvolvimento da economia agrária no Brasil desde o descobrimento, passou pelos dilemas enfrentados no presente e perspectivas para o futuro. “Muitas questões debatidas ainda hoje no Brasil foram importantes, mas estão ultrapassadas. Não podemos fazer julgamentos baseados em paradigmas antigos”, afirmou.

O professor Guilherme de Benedictis, organizador da palestra, salientou o caráter transdisciplinar do debate, “Não foi um assunto interessante apenas para a cadeira de Geografia, pois não se restringiu a aspectos da agronomia. Pudemos englobar vários assuntos, o que tornou a palestra mais interessante para todos os participantes”.

Economia sem segredos

Na última sexta-feira, 23 de setembro, professores e alunos do curso de Aprofundamento para o Vestibular da Fundação Getúlio Vargas tiveram a oportunidade de entender melhor um assunto que vem se destacando nos jornais e tirando o sono de muita gente: as crises financeiras ao redor do mundo.

O professor da FGV, Ernesto Lozardo, falou sobre a crise imobiliária dos Estados Unidos e a atual crise europeia, tratando de conceitos como a bolha de crédito, as questões relativas à força do Euro como moeda comum e os impactos mundiais dos acontecimentos recentes em uma economia tão globalizada quanto a atual. Ele utilizou conteúdos de seu livro “Globalização – A certeza imprevisível das nações”.

A palestra, organizada pelos professores Guilherme A. de Benedictis e Álvaro Z. Aranha, foi muito elogiada por todos os presentes. “O professor foi muito didático ao explicar conceitos complexos. Criou até um personagem para aproximar as situações discutidas à realidade do público da palestra”, comentou Guilherme, atestando que o “medo” que muitas pessoas têm da economia passou longe da turma do Band.

Inglês atualizado

O aprendizado de uma língua não passa apenas pela sala de aula, mas se concretiza nas novas experiências que esse conhecimento é capaz de proporcionar. Para estarem em sintonia com as transformações desse saber dinâmico, os professores do Band são incentivados a buscar as novidades pelo Brasil e pelo mundo.

O Coordenador de Língua Inglesa e Assuntos Internacionais, José Olavo de Amorim, esteve em Kelowna, Canadá, a convite da UBC (University of British Columbia) para conhecer o Okanagan Campus junto de uma comitiva de outros onze “counselors” (orientadores de alunos) do mundo inteiro, vindo de países como Guatemala, Jordânia, Estados Unidos e Noruega.
Olavo elogiou muito a organização da universidade e a atenção que recebeu de todos os profissionais. “Eles dão muito valor à construção de relações internacionais. Nosso grupo conversou pessoalmente com o Presidente da Universidade, Stephen Toope, e percebemos o interesse genuíno deles”, contou.

Além de trocar experiências, o professor pode conhecer toda a infraestrutura do campus, como salas de aula, dormitórios e museus. “Pude viver a universidade e entender a cultura de aprendizado deles, muito diferente da nossa. Esse tipo de experiência é muito rica para ser passada ao aluno que pretende estudar no exterior”, observou.

As professoras Cléria dos Santos e Patrícia Goloni estiveram na Inglaterra, participando de cursos no English Language Centre, junto a outros professores do mundo inteiro. Ambas já fizeram outras viagens de capacitação com o apoio do Band, e afirmam que os ganhos vão muito além dos conhecimentos adquiridos nos cursos. “É muito interessante ter um tempo para refletir sobre sua profissão em um ambiente diferente”, diz Patrícia. “As viagens são mais uma expressão dos valores que seguimos aqui: a qualidade no que se faz, a consciência da importância e a valorização do professor”, completa Cléria.

Em Curitiba, as professoras Amini Rassoul e Silvana Paulos participaram da 9ª Southern Cone Tesol Convention. O evento reúne professores brasileiros e estrangeiros de Inglês como língua estrangeira e autores de livros didáticos. Refletir sobre o uso da tecnologia e a relação com os “digital learners” foi muito importante para as professoras. “Mais do que conhecer as novas tecnologias, nós pudemos pensar em novas utilizações dos recursos que já temos em sala de aula”, conclui Amni.

Prevenção na escola

É parte da filosofia da escola a constante capacitação de seus profissionais. Em CPG não seria diferente. As professoras Marina Schwarz e Beatriz Kohlbach marcaram presença no XXI Congresso Brasileiro da ABEAD (Associação Brasileira de Estudos do Álcool e outras Drogas), realizado na semana da pátria em Recife – PE.

No evento, foram discutidas questões como publicidade e drogas lícitas, mudanças nas políticas antidrogas internacionais e o uso de redes sociais na prevenção às drogas. Nas palestras e cursos, as professoras puderam circular entre pesquisadores brasileiros e estrangeiros, assim como conhecer seus mais recentes trabalhos.

“Ficamos felizes ao perceber o quanto o projeto de CPG é conhecido e admirado pelos pesquisadores e educadores desta área”, contaram. Beatriz e Marina destacam a inspiração para novos projetos e a possibilidade de novas parcerias como pontos fortes da viagem.

Liderança, motivação e transformação

Combinar reflexão e ação, compreender diferentes contextos e acreditar em suas próprias ideias para fazer a diferença em realizações coletivas. Essas foram algumas das lições que Ricardo Aguirre, de Relações Institucionais e Culturais do Colégio Bandeirantes, trouxe da Kellog University.

Ricardo participou do Programa Skills, Tools and Competencies da Fundação Dom Cabral, voltado para formação de executivos. A etapa brasileira do curso teve duração de uma semana e aconteceu em Minas Gerais, onde os participantes discutiram a visão empresarial brasileira e as possibilidades de novas visões e realidades. Na Kellog University, em Chicago, as três semanas de atividades tiveram uma abordagem global, trabalhando com estudos de caso de empresas, refletindo sobre gestão, tecnologia e liderança.

Em ambas etapas, Ricardo Aguirre aproveitou a oportunidade para focar toda sua atenção nos novos conceitos e reflexões propostas. “É muito interessante essa possibilidade de imersão. O ambiente contribuía para manter 100% de atenção nos estudos”. Ele também mostrou que o conhecimento não vem apenas dos professores e palestrantes “a turma é composta por executivos de áreas muito diversas, o que me fez pensar sobre meu próprio trabalho de outros pontos de vista e trazer experiências que deram certo em outros segmentos”, conclui.