Três jovens professores concluem mestrado

Neste ano, os professores Carolina Zambrana e Franco Ramunno, de Química e Renato Villar, de Laboratório de Física, completaram a formação de mestrado. Os três jovens mestres completaram o curso na área de Engenharia.

Carolina, Franco e Renato

Carolina, Franco e Renato

Carolina fez o mestrado na POLI (Escola Politécnica da USP) em Engenharia Química. A tese defendida por ela tinha como base a regeneração de carbono ativado contaminado por pesticidas, através do POA (Processo Oxidativo Avançado). Para a professora, a experiência, dentre outros aspectos, ajuda na Feira de Ciências. “Ter o contato com a universidade, saber escrever um relatório científico, saber onde pesquisar, quais fontes são confiáveis, são fatores que me auxiliam como orientadora na Feira de Ciências”, declarou.

Já Franco, formado no Colégio em 2005, realizou o trabalho voltado para a reciclagem de celulares, também em Engenharia Química na POLI. O objetivo de sua dissertação foi indicar métodos de recuperação de metais presentes na placa de circuito impresso do celular. “Foi uma experiência muito rica, primeiro porque o tema em si é interessante. Só no Brasil existem mais de 200 milhões de celulares, estudar como recuperar esses materiais tem aplicação imediata”, contou. “Além disso, os metais são tóxicos, então, o descarte normal pode contaminar o solo, a água, o ar… tem uma questão ambiental envolvida”, completou.

Por fim, Renato, formado pelo Band em 2004, conta que se tornou mestre pela Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL), região de Poços de Caldas (MG), na área de Ciências e Engenharia Ambiental. Seus estudos foram em Física e Matemática aplicadas na Biologia. A proposta era de modelagem de crescimento de uma população biológica, levando em consideração seus fatores limitantes. “A aplicação direta foi reflorestamento: Qual era a melhor distância para colocar entre árvores no reflorestamento de uma região de modo que elas não se afetem, nem que tenha espaço perdido”, afirmou.

De acordo com os três, o mestrado ainda é importante para proporcionar um contato direto com a universidade e o método de pesquisa. Para eles, esse contato ajuda a abrir portas e expandir horizontes do próprio Colégio. “Acho que também traz as inovações que a universidade está continuamente pesquisando”, finalizou Carolina.

Professora Cátia conclui mestrado na PUC-SP

A professora de Língua Portuguesa, Cátia Luciana Pereira concluiu seu mestrado na área de educação linguística na PUC-SP, com o apoio do Bandeirantes. A dissertação defendida foi uma nova pedagogia da língua baseada em meios digitais.

Prof.a_Catia

“No estudo da educação linguística existem 5 pedagogias diferentes: a da oralidade, da escrita, da literatura, da gramática e da leitura. O que eu fiz no meu mestrado foi criar um sexto eixo da pedagogia que é o digital”, explicou Cátia.

A ideia surgiu diante da prática em sala de aula. Segundo a professora, o aluno já está familiarizado com a tecnologia e é necessário incluí-la nas práticas de ensino. Agora, com o estudo, ela poderá conscientizar o uso do digital em sala de aula para aprimorar o método de aprendizagem.

Sobre a importância do Colégio investir na capacitação dos professores ela comentou: “Eu tinha uma professora na USP que falava ‘ Professor que é professor também é pesquisador’ e quando o Colégio se propõe a investir na pesquisa e na parte acadêmica dos professores ele permite que a gente aprimore nosso trabalho e nos possibilita compartilhar o nosso aprendizado”.

Prof.a Paula Rabello conclui Mestrado

A professora de Matemática Paula Rabello concluiu, recentemente, seu Mestrado na PUC-SP, no qual se baseou na análise histórica de reformas curriculares de matemática no Ensino Médio.

paula rabelo

O estudo se fundamentou no ensino da Matemática entre as décadas de 1920 e 1940 para os alunos no antigo segundo grau. “Chegou uma época que comecei a me perguntar o que os alunos sempre me perguntavam ‘pra que isso serve na vida?’”, contou Paula sobre a ideia do tema do Mestrado.

O currículo daquela época, segundo ela, é praticamente igual ao de hoje. “Existem demandas muito específicas hoje em dia, portanto, o currículo não pode ser olhado como uma lista de conteúdos”, explicou.

Paula Rabello ressaltou ainda a importância de o Band patrocinar e incentivar as capacitações dos professores. “Temos que estar atentos às novas tendências para trazermos isso para o Colégio e o Bandeirantes tem espaço para todas essas discussões”, finalizou.

Profa. Karla conclui mestrado na PUC-SP

A professora de Língua Portuguesa Karla Somogyi concluiu seu Mestrado em que, a partir da Análise do Discurso, estudou o humor e a malícia em manchetes e matérias sensacionalistas. O Mestrado foi uma continuação de sua pesquisa inicial de Especialização, ambos concluídos na PUCSP.

Karla_mestrado

Karla analisou diversas manchetes e reportagens do jornal Meia Hora, publicado no Rio de Janeiro. Dessa forma, concebeu que o jornal não se preocupa mais em informar ou formar opiniões, mas, sim, em apenas entreter o público. O interesse sobre o tema surgiu na época das Olimpíadas de 2012, quando o Meia Hora publicou inúmeras manchetes maliciosas e, muitas vezes, preconceituosas.

Como toda dissertação na PUC, é perguntado como essa seria utilizada em sala de aula. “Eu poderia trabalhar com a leitura dos alunos a partir de outros tipos de texto e, dessa maneira, trazer questões mais atuais e discutir como isso influencia nossa fala e linguagem”, explicou .

A grande importância da capacitação continuada, segundo Karla, é o professor poder refletir sobre sua prática e ampliar as possibilidades de ensinar e discutir com os alunos.

Professora Claudia Ayoub conclui mestrado na NYU

Claudia Ayoub, formada no Band e agora professora de Artes, concluiu seu mestrado na área Performance Studies, na Tisch School of the Arts (NYU). O curso é considerado o primeiro colocado mundial na área; a professora foi apoiada integralmente pelo Band durante o ano de duração.

nyu_1“Ao meu ver, acima de tudo, Performance Studies é um método. É uma proposta de ler, escrever, pensar e produzir arte e filosofia através de caminhos alternativos”, explicou. “No entanto, não se trata de pensar somente no que se deve realizar daqui para adiante, mas também possuir a liberdade de ler e interpretar a História e as histórias. Um olho para o passado, um para o futuro, e o central firmado no presente”, completou.

Durante o período, Claudia experimentou laboratórios de teatro e dança em Chiapas, México, testou as mescladas hindu-americanas e cantou canções em Yorubá . Ao final,  disse ainda preferir os tambores do Carnaval do Brasil – Claudia faz parte de uma família cujas raízes estão fincadas na tradição das escolas de samba do Rio de Janeiro.

A professora reforçou a importância da localização da NYU. “Nova York é o cenário perfeito para experimentações utópicas, criações sincréticas e encontros multiculturais. Sempre duvidei da ‘magia romantizada’ promovida pela propaganda da cidade. Mas eu me surpreendi ao perceber que a magia existe, e também está viva”, contou.

Toda a cidade forneceu um clima especial para a formatura da professora. O Empire State, por exemplo, estava roxo, cor da NYU. A cerimônia teve o discurso final feito pelo diretor Martin Scorsese.

Claudia Ayoub e Helena Salles de Aguiar

Claudia Ayoub e Helena de Salles Aguiar

Claudia Ayoub diz que fazer parte de um Colégio que acredita na educação contínua de seus professores de forma tão livre e criativa a motiva para seguir novos caminhos e produzir possibilidades. “A formação continuada é uma das ações mais importantes dentro de uma instituição de educação e precisa ser valorizada em todos os sentidos”, explicou a Gerente de Planejamento, Helena de Salles Aguiar, que esteve presente na formatura de Claudia. “O aprendizado deve ser contínuo”, completou.

Mário Abbondati defende mestrado no Band

O coordenador de Tecnologia Educacional, Mário Abbondati, finalizou seu mestrado na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências Exatas (PPGECE). Esse mestrado profissional é voltado a professores de Física e Matemática do Ensino Fundamental e Médio, que estejam no exercício da profissão e que busca o aperfeiçoamento da sua atuação profissional e a melhoria da qualidade de ensino.

Em 2009 Mário realizou o exame seletivo, para no ano seguinte iniciar as disciplinas do curso. Já em 2012 ele escreveu a dissertação de seu trabalho de mestrado, que foi a elaboração de um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) para, no final do ano, defendê-la dentro do próprio Bandeirantes. “Essa é a primeira vez que o PPGECE realiza uma defesa fora da universidade. A ideia foi do meu professor orientador”, contou Mário.

Foi em 2011 que o coordenador começou a desenvolver este trabalho, que teve como objetivo o desenvolvimento e aplicação do AVA na plataforma Moodle, para o estudo de tópicos de Matemática do Ensino Fundamental. O público alvo foram os alunos do Bandeirantes da Fundação Ismart, instituição que concede bolsas de estudo a alunos de alta performance de escolas públicas. Os temas selecionados trabalhados no ambiente foram Grandezas e Medidas e também Porcentagem, escolhidos pelas necessidades dos alunos e pela relevância no cotidiano das pessoas.“O Moodle é um software utilizado para Educação a Distância. Para o Ensino Básico, a plataforma pode ser usada como apoio ao ensino presencial, através do chamado “blended learning”, uma mistura de ensino presencial com ensino a distância”, disse Mário.

Para esse ambiente, Mário utilizou diversos objetos de aprendizagem, como textos, softwares, imagens, animações, vídeos e áudio, muitos desenvolvidos por ele mesmo. “A ideia era fazer um ambiente o mais interativo possível, para que o aluno pudesse interagir com as ferramentas, estudar em casa e aprender o conteúdo que está disponível para ele”, explicou o coordenador.

Dom Quixote, com louvor

A professora de espanhol, Giselle Cristina Gonçalves Migliari, concluiu seu mestrado em Língua Espanhola e Literaturas Espanhola e Hispano-Americana, na Universidade de São Paulo (USP). Gisele optou por estudar o conceituado escritor espanhol Miguel de Cervantes, focando nos poemas de Dom Quixote, a principal obra do autor.


O objetivo inicial, quando começou o mestrado em 2008, era analisar os dez poemas que abrem a obra Dom Quixote. A partir dessa analise, decidiu fazer uma proposta de tradução das poesias, do espanhol para o português. “Precisei escolher uma linha de tradução. Dentre as várias que existem, optei pela tradução como interpretação, adotando a ideia filosófica do perspectivismo”, explicou a professora, que entrou em Filosofia na USP em 2010, para se aprofundar ainda mais no tema. Intitulado de “Dom Quixote: poesia e crítica. Estudo dos versos preliminares de Dom Quixote”, a dissertação de mestrado foi finalizada e apresentada com sucesso em 2012.